Palestino preso por Israel é hospitalizado após 30 dias em greve de fome

Ramala, 14 jul (EFE).- O preso palestino Balal Kayed, de 35 anos, foi hospitalizado nesta quinta-feira após uma grave piora de seu estado de saúde depois de um mês em greve de fome em protesto por sua situação de "detenção administrativa", sem acusação alguma, informou o Clube de Prisioneiros Palestinos.

Kayed, natural de Nablus (norte da Cisjordânia), foi detido em 2001 e condenado por um tribunal militar israelense a 14 anos e meio de prisão por filiação à Frente Popular de Libertação da Palestina e por realizar atividades contra o Estado de Israel.

Desde setembro de 2015 até junho de 2016, Kayed permaneceu em uma cela de isolamento na prisão de Rimon, segundo o Conselho de Organizações de Direitos Humanos Palestinos (PHROC, por sua sigla em inglês), que assegura que tinha que ter sido libertado em 13 de junho, mas que nesse dia Israel emitiu uma ordem de detenção administrativa, pela qual foi enviado novamente à cela de isolamento.

Dois dias mais depois, Kayed iniciou uma greve de fome em protesto por sua situação e para exigir sua liberdade.

Segundo o PHROC, desde então só ingere água e se negou a se submeter a exames médicos ou tomar vitaminas ou suplementos.

A ONG Adamir (em árabe, Consciência) assegura que atualmente há 715 palestinos sob detenção administrativa, entre eles 3 deputados palestinos, e exige sua libertação ou processo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos