Advogado de terrorista de Nice diz que nada indicava que podia cometer ataque

Paris, 15 jul (EFE).- O advogado Corentin Delobel, que defendeu o autor do massacre de ontem em Nice, Mohammed Boulhel, em um caso anterior de delinquência comum, disse nesta sexta-feira que nada indicava então que pudesse cometer um atentado desse tipo.

"Era um indivíduo normal, sem nada de particular, não mais específico que outros casos que vemos regularmente", afirmou o advogado à emissora "BFM TV".

Delobel lhe defendeu em uma briga de trânsito ocorrida em janeiro e pela qual foi condenado em março deste ano a seis meses de prisão isentos de cumprimento.

"Nesse tipo de processos rápidos não se efetuam exames psicológicos. Foi analisado por um investigador que recolhe elementos sobre sua situação pessoal e não houve nenhum para que se fizesse uma investigação psicológica ou psiquiátrica profunda", destacou o advogado.

Boulhel usou um caminhão ontem à noite para atropelar centenas de pessoas que tinham assistido aos fogos de artifício da celebração pelo Dia da Bastilha em Nice e deixou 84 mortos, entre os quais havia dez crianças e adolescentes, além de 200 feridos, 52 em estado crítico.

O advogado lembrou que, quando lhe defendeu, Boulhel não fez nenhuma declaração particular que o fizesse pressagiar que podia realizar um atentado como o de ontem à noite, ou que permitisse supor que pudesse pertencer a alguma célula radical islâmica.

O terrorista também disparou ontem contra policiais que tentaram deter seu veículo, e finalmente foi morto a tiros pelos agentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos