Hollande chama de terrorista ataque de Nice e prolonga estado de emergência

Paris, 15 jul (EFE).- O presidente da França, François Hollande, fez um pronunciamento nesta sexta-feira sobre o atentado em Nice, onde um caminhão atropelou uma multidão, matando pelo menos 80 pessoas e deixando aproximadamente 18 feridos em estado crítico, dizendo que "não se pode negar o caráter terrorista" do fato.

Hollande afirmou que entre os mortos estão várias crianças e que o autor agiu com "intenção de matar, esmagar e massacrar".

O presidente francês também anunciou que prolongará o estado de emergência no país, que devia expirar no próximo dia 26, por mais três meses.

"Toda a França está sob ameaça do terrorismo islâmico", após ter estado em Paris no ano passado, afirmou Hollande, em uma clara alusão ao possível caráter jihadista do ataque em Nice.

O presidente dirigiu uma reunião da célula ministerial de crise antes de se reunir no Palácio do Eliseu com seu primeiro-ministro, Manuel Valls, com quem viajará amanhã para Nice, após presidir um Conselho de Defesa.

Entre as medidas de curto prazo, além da extensão do estado de emergência, Hollande também anunciou deverá permanecer com a Operação Sentinela, que permite mobilizar 10 mil militares.

O presidente francês também decidiu "chamar a reserva operacional" para reforçar a segurança, especialmente no controle de fronteiras.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos