Renzi diz que "não deixar os franceses sozinhos é compromisso" de todos

Roma, 15 jul (EFE).- O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, declarou seu sentimento de "dor e raiva" pelo atentado cometido em Nice, no sul da França, e disse que "não deixar os franceses sozinhos é compromisso da Itália e de toda a comunidade internacional".

"Reagir é um dever moral", disse o chefe do governo em seu site "enews", onde manifestou sua "dor, comoção, solidariedade", após o atentado que causou pelo menos 84 mortes na cidade francesa.

Apesar da dor, ele destacou que tem o "desejo de reagir" e acrescentou que a França "tem sido atingida pelo terrorismo", mas que está convencido de que o país "é e será mais forte do que os fanáticos".

As declarações do primeiro-ministro da Itália foram feitas depois que o Palácio Chigi, a sede do governo, colocou, logo no início do dia, as bandeiras da Itália e da França a meio mastro.

Mais cedo, a presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Laura Boldrini, foi à embaixada da França para mostrar sua solidariedade à embaixadora francesa Catherine Colonna. Na saída, Laura disse que estão todos unidos na "mesma família, a família europeia".

"Nos momentos difíceis a família se manifesta e se aproxima. Portanto, quis ressaltar este aspecto. Temos que combater toda forma de terrorismo, mas também encontrar os instrumentos para tentar obter resultados e isto não é fácil. Temos que fazê-lo sempre respeitando nossas instituições e nossos princípios", acrescentou. EFE

jam/cdr

(vídeo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos