Rússia pede que se evite derramamento de sangue na Turquia

Moscou, 15 jul (EFE).- A Rússia pediu nesta sexta-feira que se evite um derramamento de sangue na Turquia e para que os problemas sejam solucionados no marco constitucional após o golpe de Estado protagonizado pelo exército desse país.

"Certamente, nós acreditamos que é necessário evitar qualquer confronto sangrento e solucionar todos os problemas que surjam em cada país exclusivamente no marco constitucional", disse Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores russo, em entrevista coletiva conjunta com o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry.

Lavrov, que realizou hoje longas negociações sobre a Síria com Kerry, admitiu que estava sabendo sobre o que ocorria na Turquia "em tempo real".

Por sua parte, Kerry disse desconhecer os eventos na Turquia, mas também fez votos para que nesse país reine "a estabilidade e a continuidade".

A Rússia normalizou recentemente as relações com a Turquia depois que esse país se desculpou por ter derrubado no final do ano passado um caça russo na fronteira com a Síria, incidente no qual morreram dois soldados russos.

O presidente russo, Vladimir Putin, acusou então seu colega turco, Tayyip Recep Erdogan, de apoiar o Estado Islâmico, beneficiar-se do comércio de petróleo com os jihadistas e de invadir território sírio a fim de derrubar o presidente da Síria, Bashar al Assad.

Por sua vez, a Turquia é um dos principais parceiros dos Estados Unidos, embora nos últimos meses tenham surgido algumas divergências entre ambos países devido ao apoio de Washington às milícias curdas sírias que combatem os jihadistas no país árabe.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos