Chefe interino do Exército turco diz que tentativa de golpe causou 194 mortes

Ancara, 16 jul (EFE).- O chefe interino do Estado-Maior da Turquia, Ümit Dünar, declarou neste sábado que durante a tentativa de golpe, ontem, morreram 194 pessoas, entre elas 104 golpistas, enquanto 1.536 militares foram presos, incluindo dois generais.

"A tentativa de golpe de Estado foi rejeitada desde o início pelo comando (do Exército). A solidariedade histórica na Turquia fez fracassar a tentativa de golpe", afirmou.

Dünar, nomeado hoje como chefe interino do Estado-Maior após o titular Hulusi Akar ter sido capturado pelos militares que apoiavam o golpe, acrescentou que outras 90 pessoas, entre elas dois militares, 41 policiais e 47 civis, morreram nos confrontos.

Akar foi libertado e já está de volta ao serviço, acrescentou Dünar durante entrevista coletiva transmitida pelas cadeias de notícias locais.

"Muitos comandantes foram feitos reféns no Estado-Maior no início (do golpe) e levados para lugares desconhecidos", relatou o militar sobre os acontecimentos dramáticos das últimas horas.

"O presidente, o primeiro-ministro e os ministros do governo, todos se uniram ao Exército e impediram o golpe. A nação foi para as ruas e enfrentou os tanques", acrescentou Dünar.

"Infelizmente a Turquia testemunhou um grupo que disparou contra seu parlamento, contra seus cidadãos. Mas a nação não deve se preocupar: a Turquia terminou com a época dos golpes", concluiu o chefe do Estado-Maior interino.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos