Turquia critica EUA por abrigar predicador Fetullah Güllen

Ancara, 16 jul (EFE).- O governo da Turquia criticou neste sábado abertamente os Estados Unidos por abrigar o controverso predicador Fetullah Gülen, que é considerado responsável pela tentativa golpista da noite de sexta-feira.

Um país que acolhe o "líder do Estado paralelo" não pode ser um amigo da Turquia, afirmou o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, em entrevista coletiva hoje.

Yildirim se referia a Gülen, de 75 anos de idade, que vive desde 1999 no estado americano de Pensilvânia, acusado pelo governo islamita de "terrorista" e de querer desestabilizar o Estado turco.

O predicador, que tem muitos seguidores na Turquia, foi até 2013 um aliado do governante partido de Desenvolvimento e Justiça (AKP) e do agora presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

"Este é um líder de um grupo terrorista. Um país que está por trás deste homem não pode ser um amigo da Turquia. E mais, isso seria um ato hostil frente à Turquia", disse Yilidirim perante a imprensa.

O primeiro-ministro lembrou que a Turquia pediu há tempos a extradição de Gülen dos Estados Unidos ao país.

O próprio predicador rejeitou hoje qualquer envolvimento na tentativa de golpe de Estado, que tirou a vida a mais de 160 pessoas, deixou quase 1.500 feridos, enquanto milhares de militares foram detidos.

Após o fracasso do levantamento militar, mais de 2.700 juízes foram destituídos, todos eles suspeitos de simpatizar com o movimento conservador de Gülen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos