Assistente militar pessoal de Erdogan tem prisão decretada na Turquia

Ancara, 17 jul (EFE).- As autoridades turcas decretaram a detenção do coronel Ali Yazici, assistente militar pessoal do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, assegura neste domingo emissora privada "CNNTÜRK".

Yazici ocupava desde agosto o posto de assistente do presidente, um cargo tradicionalmente desempenhado por um militar de alta categoria, para o qual o presidente seleciona entre três nomes propostos pelas Forças Armadas.

Segundo o jornal digital opositor "T24", Yazici estava em Ancara na noite de sexta-feira, quando aconteceu a tentativa de golpe, e não acompanhava Erdogan durante sua estadia de férias em um hotel da cidade de Marmaris no litoral turco.

Também foi detido o general Ismail Güneser, que ocupou este mesmo cargo sob o presidente Abdullah Gül, entre 2008 e 2012, informa a emissora "NTV".

Ontem à noite já tinham sido detidos oito generais das Forças Aéreas, que estavam no aeroporto de Sabiha Gökçen.

Entre os mais de 2,8 mil militares detidos ontem, estão dois dos quatro máximos cargos das forças terrestres: os generais Adem Huduti, comandante do 2º Exército da Turquia, que controla a luta contra a guerrilha curda no sudeste do país, e Erdal Öztürk, comandante do 3º Exército, estacionado na Anatólia oriental.

O ministro da Justiça, Bekir Bozdag, anunciou hoje que o número de detidos após a tentativa golpista superará os 6 mil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos