Seul e Washington verificam segurança do escudo antimísseis perante protestos

Seul, 17 jul (EFE).- Coreia do Sul e Estados Unidos verificarão se o potente radar do novo escudo antimísseis THAAD não representa nenhum risco para a saúde, perante os protestos dos moradores da região sul-coreana que sediará estas instalações militares.

Um porta-voz do Ministério da Defesa de Seul afirmou neste domingo à agência local "Yonhap" que vão tomar "todas as medidas possíveis" para garantir a segurança do sistema THAAD (siglas de Sistema de Defesa Terminal de Área a Grande Altitude).

Seul e Washington devem posicionar até o final de 2017 este novo dispositivo antimísseis no condado de Seongju, situado na província de Gyeongsang do Norte e em uma área montanhosa a cerca de 296 quilômetros ao sul de Seul.

Ambos escolheram esta região do interior do Coreia do Sul, onde as forças aéreas americanas já contam com uma bateria antimísseis terra-ar, após levar em conta que sua geografia é apropriada para o THAAD e que tem uma baixa densidade de população.

No entanto, depois que o Ministério de Defesa sul-coreano anunciou a localização do THAAD aconteceram fortes protestos por parte dos moradores desta área rural sul-coreana, que consideram que as instalações militares poderiam representar um risco para os cultivos agrícolas da região e para a saúde humana.

Em particular, os habitantes da região temem que as ondas eletromagnéticas usadas pelo radar AN/TPY-2 que fará parte do THAAD possam causar câncer, infertilidade e danos aos cultivos, segundo um comunicado emitido por uma associação de moradores de Seongju.

A população local expressou seu descontentamento em várias concentrações, e na sexta-feira passada receberam com lançamentos de ovos e de garrafas de água o primeiro-ministro sul-coreano, Hwang Kyo-ahn, durante sua visita à região para dar explicações aos moradores.

"Para aliviar todas as preocupações, realizaremos uma avaliação dos riscos para a saúde e para o meio ambiente durante e depois da instalação do THAAD", afirmou antes citada fonte do Ministério da Defesa.

As instalações militares ocuparão uma área de 110 mil metros quadrados em Seongju, e os mísseis lá localizados terão um alcance aproximado de 200 quilômetros, o que lhes permitiria interceptar projéteis dirigidos contra as bases americanas de Pyeongtaek (norte do Coreia do Sul) e Gunsan (oeste).

Coreia do Sul e EUA selaram no último dia 8 definitivamente o acordo definitivo sobre o THAAD, que pretende fazer frente aos programas armamentistas da vizinha Coreia do Norte, um país que vê este dispositivo como uma ameaça direta contra seu território.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos