Indonésia mata um dos jihadistas mais procurados do país

Bangcoc, 19 jul (EFE).- As autoridades da Indonésia informaram nesta terça-feira que em uma operação antiterrorista morreu um dos jihadistas mais procurados do país, Santoso, chefe do grupo Mujahedin da Indonésia Oriental (MIT) e defensor do Estado Islâmico (EI).

"Posso confirmar que Santoso morreu", anunciou em entrevista coletiva o ministro indonésio coordenador de Assuntos Políticos, Legais e de Segurança, Luhut Pandjaitan, segundo o jornal "The Jakarta Post".

O jihadista, também conhecido como Abu Wardah, morreu na segunda-feira em uma operação antiterrorista na zona de Poso, capital de Célebes Central, província na qual tinha nascido em 1976.

Com Santoso, morreu o terrorista Muchtar e escaparam três companheiros, duas mulheres e um homem.

Os corpos de segurança da Indonésia lançaram no começo do ano uma operação para neutralizar Santoso e seu grupo depois que um atentado no centro de Jacarta deixou oito mortos, incluídos os quatro assaltantes.

As tentativas lançadas em 2015 para acabar com um dos terroristas mais procurados da Indonésia fracassaram.

Santoso fundou em 2010 Mujahedin da Indonésia Oriental, que em 2014 se alinhou com o EI.

A Indonésia, onde os muçulmanos compõem 88% de seus 250 milhões de habitantes, sofreu vários ataques perpetrados por radicais islamitas, incluído o ocorrido na turística ilha de Bali em 2002, que deixou 202 mortos, a maioria turistas estrangeiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos