Líderes do Congresso demonstram apoio moderado a Trump após sua indicação

Washington, 19 jul (EFE).- O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Paul Ryan, e o líder do Senado, o senador Mitch McConnell, expressaram nesta terça-feira na Convenção Nacional Republicana seu apoio ao novo indicado do partido à presidência do país, Donald Trump.

Na convenção, realizada em Cleveland (Ohio), Ryan, cujo apoio público a Trump não foi oficializado até junho, disse que "a democracia é uma série de opções e os republicanos devemos escolher nossas opções".

Em uma das poucas menções ao indicado, eleito hoje e que na quinta-feira aceitará sua candidatura, Ryan afirmou que "no próximo Estado da União (discurso presidencial do início de ano) me verão junto com o vice-presidente Mike Pence e o presidente Donald Trump".

No entanto, Ryan logo passou dessa modesta menção a Trump para repassar os ideais que devem guiar o Partido Republicano no futuro "com ideias que funcionam de verdade, com livre mercado e liberdade de escolha".

"Temos que ver além das classes e das etnias", ressaltou Ryan, que em março deu um discurso visto como uma tentativa de desacreditar Trump perante os tradicionais eleitores republicanos.

Mas hoje Ryan se centrou em criticar a virtual candidata democrata, Hillary Clinton, sobre quem disse que trará "um terceiro mandato das políticas do presidente Barack Obama".

Por sua vez, o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, afirmou hoje que se deve eleger Donald Trump para a Casa Branca porque com ele o Congresso começará a funcionar da maneira mais eficiente "em anos".

"Com quatro anos de Hillary teremos quatro anos de escândalos que seguem os Clinton como moscas ao mel", assegurou o líder de senado, que até hoje não se tinha mostrado muito próximo a Trump.

McConnell destacou que Trump revogará a reforma da saúde de Barack Obama de 2010 e suspenderá os vetos do presidente democrata às propostas legislativas do Congresso dominado pelos republicanos, ao mesmo tempo em que indicará um juiz conservador para a Corte Suprema.

Menos passionais que outros oradores que passaram pelo ginásio Quicken Loans de Cleveland desde ontem, os dois altos comandantes da cúpula legislativa republicana se centraram em pedir votos para manter a maioria em ambas câmaras, frear Hillary e manter os valores republicanos mais tradicionais.

"A única coisa que se pode reconhecer em Obama é que nos levou mais à esquerda", comentou McConnell.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos