Supostos bombardeios de coalizão contra EI na Síria matam 56 civis

Beirute, 19 jul (EFE).- Pelo menos 56 civis morreram nesta terça-feira, entre eles 11 menores de idade, por supostos bombardeios da coalizão internacional contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) nos arredores da cidade síria de Manbech, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG apontou que moradores da zona acusaram a coalizão internacional, liderada pelos EUA, de estar por trás deste ataque, que também deixou dezenas de feridos, alguns deles em estado grave.

Os aviões tiveram como alvo a periferia setentrional de Manbech, que é palco de combates entre os jihadistas e as Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada curdo-árabe que recebe cobertura aérea da coalizão.

Desde 31 de maio, Manbech, situada no nordeste da província setentrional de Aleppo, é alvo de uma ofensiva das FSD, que querem arrebatar dos radicais o controle desta cidade.

Segundo dados publicados ontem pelo Observatório, pelo menos 104 civis, entre eles 29 menores, perderam a vida pelos bombardeios da coalizão em Manbech desde o início do ataque das FSD.

Neste tempo, outros 137 civis morreram pelo fogo cruzado de ambas partes no terreno, explosões de minas e disparos de franco-atiradores.

Manbech é um dos dois principais redutos do EI em Aleppo, junto à cidade de Al Bab, a cerca de 20 quilômetros de distância.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos