Em quase 10 meses, 7.210 pessoas morreram em bombardeios russos na Síria

Beirute, 20 jul (EFE).- Pelo menos 7.210 pessoas morreram na Síria em bombardeios da aviação russa, que iniciou seus ataques no país em 30 de setembro do ano passado, conforme os dados publicados nesta quarta-feira pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Desses falecidos, pelo menos 2.600 eram civis, incluindo 632 crianças e 390 mulheres.

Os bombardeios russos também causaram 2.491 baixas nas fileiras do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e 2.119 nas de organizações rebeldes, islâmicas, Frente al Nusra - filial síria da Al Qaeda - e Exército Islâmico do Turcomenistão, entre outros.

Por outro lado, a ONG apontou que pelo menos 8.953 civis morreram na Síria e outros 47 mil ficaram feridos em ataques aéreos da força aérea nacional desde 20 de outubro de 2014, quando a aviação síria intensificou sua campanha de bombardeios em todo o país. Os aviões e helicópteros sírios efetuaram neste período 60.989 ataques em todas as províncias sírias, exceto em Tartus, um dos redutos governamentais no litoral.

A Síria vive uma guerra desde março de 2011, que ocasionou a morte de mais de 280 mil pessoas, de acordo dados do Observatório. EFE

ssa/cdr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos