Filhos apresentam Trump como grande pai e homem batalhador

Cleveland (EUA), 19 jul (EFE).- Donald Jr. e Tiffany, dois dos cinco filhos de Donald Trump, apresentaram o candidato republicano nesta terça-feira como um grande pai e um homem batalhador que "dá tudo de si" em cada projeto que empreende.

"Meu pai me ensinou que com esforço e determinação você pode fazer o que quiser. Ele honrou essas palavras com sua vida. Uma de suas qualidades definidoras é que dá tudo de si no que faz e faz bem", disse Tiffany, sua quarta filha, nascida de seu segundo casamento.

Com vestido azul e seu cabelo loiro comprido, a jovem de 22 anos pronunciou um discurso breve, mas carregado de admiração no qual quis mostrar uma faceta pouco conhecida do empresário, a de pai.

"Seu desejo pela excelência é contagioso, sempre me ajudou a ser a melhor versão de mim mesma", comentou.

"Meu pai é tão autêntico, tão forte, tão protetor, tão resistente, que por isso estou tão orgulhosa de chamá-lo de pai", concluiu, após um discurso impecável apesar de que sua experiência falando em público não tinha passado até agora do âmbito estudantil.

Depois dela subiu ao palanque o filho mais velho do magnata, Donald Jr., fruto do primeiro dos três casamentos do republicano.

Donald Jr., de 38 anos, descreveu as eleições de 8 de novembro como "as mais importantes" para sua geração, por serem pleitos que "determinarão o futuro do país e do mundo".

"Durante muito tempo nosso país ignorou os problemas. (...) Não podemos permitir-nos o risco de votar no partido do risco, no Partido Democrata, porque quando temos líderes frágeis nosso país é menos seguro", considerou.

"Hillary Clinton (a virtual candidata democrata) é um risco que não nos podemos permitir. Seria a primeira presidente que não poderia passar por uma avaliação de antecedentes", acrescentou, em alusão à investigação, já encerrada, sobre o uso que a ex-secretária de Estado fez de servidores de e-mail privados quando estava no cargo.

"Quando ganharmos não teremos que temer esse risco. Temos tanto trabalho a fazer. Faremos com que nossas escolas sejam as melhores do mundo, e que as sejam para todas as etnias e procedências, para todos os americanos, não só para uma classe especial", ressaltou.

"Vamos eleger um presidente que aprove leis que façam com que nosso país seja grande de novo (lema da campanha de Trump), que aprove uma lei migratória que proteja os trabalhadores americanos e lhes dê trabalho", acrescentou.

Os quatro filhos adultos de Trump foram os encarregados de anunciar hoje os votos de Nova York, seu estado natal, que fizeram-no superar a barreira dos 1.237 delegados e se transformar oficialmente no candidato republicano à presidência dos EUA.

Ontem sua esposa, Melania, defendeu suas virtudes para ser presidente em um discurso que ficou manchado depois pela polêmica por suas semelhanças com o de Michelle Obama na Convenção Democrata que em 2008 designou Barack Obama como candidato à presidência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos