Turquia declara estado de emergência por 3 meses

Istambul, 20 jul (EFE).- O governo da Turquia decretou nesta quarta-feira o estado de emergência por três meses com o objetivo de enfrentar as correntes golpistas no país e combater "a ameaça à democracia".

A decisão foi anunciada pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que afirmou que esta medida visa proteger os valores democráticos.

"Esta medida não é absolutamente contra a democracia, o estado de direito e a liberdade. Pelo contrário, tem o propósito de fortalecer e proteger esses valores", disse o governante após se reunir com o Conselho Nacional de Segurança e, horas depois, com o gabinete de ministros.

Erdogan afirmou que a medida, recomendada ao governo pelo Conselho de Segurança que preside, visa "se encarregar de todos os elementos da organização terrorista", em referência ao grupo liderado pelo clérigo islâmico Fetullah Gülen, acusado pelo governo do fracassado golpe de Estado da semana passada.

O estado de emergência permitirá dar "de forma mais eficiente os passos para eliminar o mais rápido possível a ameaça à democracia, o Estado de direito e os direitos dos cidadãos", disse Erdogan.

O presidente invocou o artigo 120 da Constituição turca, que permite estabelecer o estado de emergência no caso de atos de violência que ameacem a democracia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos