China pede que republicanos dos EUA parem de fazer "acusações infundadas"

Pequim, 21 jul (EFE).- A China pediu nesta quinta-feira ao Partido Republicano dos Estados Unidos que "deixe de fazer acusações infundadas" contra o país, em relação às referências à segunda economia mundial incluídas no programa adotado durante a convenção que nomeou Donald Trump como candidato à presidência.

"Esperamos que as partes implicadas deixem de fazer acusações infundadas contra a China e de interferir em nossos assuntos domésticos, e contribuam mais para criar confiança e cooperação bilateral", ressaltou Lu Kang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, em comunicado.

Trump reiterou sua postura de "impor os interesses americanos nas relações comerciais com a China e deixar em pedacinhos o Tratado Transpacífico (TPP)", negociado durante o governo de Barack Obama.

"Todas as facções políticas dos EUA deveriam ver o desenvolvimento da China de uma maneira objetiva e racional e entender corretamente os assuntos que emergem nas relações bilaterais", especificou Lu.

O porta-voz criticou igualmente que o Partido Republicano tenha lançado acusações contra a China, segundo disse, em assuntos relacionados com Taiwan, o Tibete e o Mar da China Meridional, além do comércio.

"O impulso de um crescimento estável das relações entre China e EUA serve aos interesses dos dois países e à paz e desenvolvimento da região Ásia-Pacífico e do mundo", completou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos