Estado-Maior da Turquia tentou impedir golpe após aviso do Serviço Secreto

Istambul, 21 jul (EFE).- O Estado-Maior das Forças Armadas da Turquia foi informado sobre a tentativa de golpe no país cinco horas antes de seu início e tomou medidas para impedir que tivesse sucesso, informou nesta quinta-feira um comunicado militar.

A cúpula das Forças Armadas recebeu o aviso do Serviço Secreto da Turquia (conhecido pela sigla MIT) às 16h locais (10h em Brasília) e se reuniu para tomar medidas, informou a nota, reproduzida integralmente pela agência "Anadolu".

Às 19h26 locais, a cúpula determinou que a Força Aérea de interrompesse todos os voos e não permitisse a decolagem de nenhum avião, ordem reiterada às 19h56 e às 20h31. Mas a ordem foi desobedecida e, por volta das 21h45, aviões controlados por golpistas decolaram, acrescenta a nota.

Como resposta, o Estado-Maior fez decolar caças F-16 de outros aeroportos, que forçaram as "aeronaves rebeldes" a aterrissar sob a ameaça de atacá-los. Além disso, caças F-4 leais ao governo bombardearam a pista da base aérea de Akinci, perto de Ancara, para inutilizá-la e impedir que ela fosse usada pelos golpistas.

Por outro lado, uma matéria detalhada da noite do golpe divulgada pela emissora "CNNTÜRK" afirma que o presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, de férias na região de Marmaris, no litoral do Mar Egeu, convocou a imprensa local às 23h30 locais para denunciar o golpe e pedir aos cidadãos que fossem às ruas.

Erdogan deixou o local na madrugada para voar até Istanbul. Uma hora e meia mais tarde, o hotel foi atacado por um grupo de golpistas, afirmou a emissora.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos