Líder do Partido Democrata dos EUA deixará o cargo após convenção

Filadélfia (EUA), 24 jul (EFE).- A presidente do Partido Democrata, Debbie Wasserman Schultz, deixará o cargo ao término da convenção que será realizada a partir de segunda-feira, na Filadélfia, e que deve nomear oficialmente Hillary Clinton como candidata do partido às eleições presidenciais dos Estados Unidos.

A decisão foi anunciada em comunicado no qual Wasserman Schultz diz manter o compromisso de fazer com que Hillary vença as eleições de novembro contra o candidato presidencial republicano, Donald Trump.

"Para o futuro, a melhor maneira para eu alcançar esses objetivos consiste em deixar a presidência do partido ao final desta convenção", declarou. Horas antes, a líder já havia desistido de ser a presidente da Convenção Nacional Democrata.

A decisão de Wasserman Schultz ocorre após o senador Bernie Sanders exigir sua renúncia devido a um vazamento de documentos pelo Wikileaks, que revelou estratégias do partido para enfraquecê-lo em prol de Hillary nas primárias.

O Wikileaks divulgou na sexta-feira possuir 19.252 e-mails de integrantes do Partido Democrata, entre os quais vários falam de estratégias para vencer Sanders, senador independente por Vermont que enfrentou a ex-secretária de Estado nas primárias pela candidatura presidencial democrata.

"Acho que ela deveria renunciar. Ponto. Acredito que precisamos de um novo presidente que nos leve por uma direção muito diferente", ressaltou Sanders em entrevista no canal "ABC".

Após ser informada sobre a renúncia de Wasserman Schultz, Hillary Clinton a agradeceu pela liderança do partido nos últimos cinco anos.

"Agradeço a Debbie por ter conseguido levar o Partida Democrata a esta histórica convenção da Filadélfia. Sei que os acontecimentos desta semana serão um sucesso graças a seu árduo trabalho e liderança. Simplesmente não há ninguém melhor para a luta contra os republicanos do que Debbie", afirmou Hillary.

Em comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ter ligado para Wasserman Schultz para agradecê-la pelo trabalho desempenhado à frente do partido.

"Sua liderança no Partido Democrata significou que tivemos alguém que uniu os democratas não só para a minha campanha de reeleição, mas também para alcançar os objetivos compartilhados que temos para o nosso país", ressaltou o governante.

No primeiro dia da Convenção Nacional Democrata, Sanders discursará com a primeira-dama, Michelle Obama, para falar sobre a necessidade de se construir uma economia que funcione para a classe média. A líder dos democratas também tinha previsto falar, mas suspendeu seu discurso, segundo informou a imprensa local.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos