Alemanha investiga 59 refugiados perante suspeitas terroristas

Berlim, 25 jul (EFE).- O Ministério do Interior alemão informou nesta segunda-feira que neste momento são investigados 59 refugiados ou solicitantes de asilo por supostas inclinações jihadistas, em muitos casos por indícios apontados por companheiros dos próprios albergues.

Em entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério, Tobias Plate, deixou claro que nenhum dos autores dos últimos ataques violentos registrados na Alemanha estava entre as pessoas investigadas e pediu de novo prudência antes de vincular a explosão registrada ontem em Ansbach com o terrorismo islamita.

Após apontar que as pistas costumam chegar às forças de segurança desde o entorno mais próximo dos refugiados, Platte afirmou que foram recebidas informações de cerca de 400 casos supostamente suspeito.

Por volta das 59 investigações em andamento, considerou difícil saber em que momento essas pessoas se radicalizaram, se antes ou após entrar no país.

As autoridades alemãs, continuou, vigiam mais de 500 pessoas consideradas potencialmente perigosas nos círculos islamitas e outras 360 que denominou "pessoas relevantes".

Plate pediu paciência com o desenvolvimento das investigações em Ansbach, onde ontem um refugiado sírio morreu após detonar uma bomba e feriu 12 pessoas, e afirmou que por enquanto não há "indícios de peso" que apontem para "um crime contra a segurança do Estado".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos