Hillary Clinton se aproxima de sonho da presidência com indicação histórica

Miriam Burgués.

Filadélfia (EUA), 26 jul (EFE).- A ex-secretária de Estado Hillary Clinton está um pouco mais perto de realizar seu sonho de chegar à presidência dos Estados Unidos após ter feito história nesta terça-feira ao se tornar a primeira mulher candidata por um dos dois grandes partidos do país - neste caso, o Democrata.

"História" e "Este momento é para todas as meninas que sonham grande" foram alguns dos tweets com os quais Hillary comemorou sua indicação.

Os delegados democratas dos 50 estados do país, reunidos na convenção do partido realizada na Filadélfia até quinta-feira, elegeram formalmente como sua candidata presidencial a ex-secretária de Estado, que superou os 2.383 apoios necessários com os apresentados por Dakota do Sul em seu turno de votação.

No final da mesma, Hillary obteve o apoio de 2.842 delegados, enquanto seu rival nas primárias democratas, o senador Bernie Sanders, recebeu o apoio de 1.865 e houve 56 abstenções.

O estado de Sanders, Vermont, pediu para ser o último a votar e, quando chegou sua vez, o senador cedeu todos os delegados que apoiavam sua candidatura na Convenção Democrata e pediu uma votação unânime em favor da ex-secretária de Estado.

Dessa forma, Hillary foi eleita por aclamação, entre aplausos e gritos dos presentes no ginásio Wells Fargo Center, graças ao fato de que Sanders imitou hoje o elegante gesto que a ex-primeira-dama teve em 2008 com o então senador Barack Obama na Convenção Democrata em Denver (Colorado).

Sanders e sua mulher, Jane, presenciaram ao vivo a votação da convenção, enquanto Hillary a acompanhou de sua casa em Nova York, de acordo com a direção de sua campanha.

A senadora Barbara Mikulski, a mais veterana da câmara alta com quase 30 anos no cargo, foi a encarregada de apresentar oficialmente a candidatura presidencial de Hillary em nome de "todas as mulheres" que, como elas duas, "quebraram barreiras".

Durante o processo de votação, que se prolongou durante pouco mais de uma hora e no qual discursam representantes de todos os estados, Sanders se emocionou em alguns momentos, em particular quando seu irmão Larry, que vive no Reino Unido, se encarregou de emitir o voto dos democratas que residem no exterior.

Nas arquibancadas, simpatizantes de Sanders protestavam durante a votação e um jovem de Michigan declarou à Agência Efe que todo o processo de seleção do candidato democrata à Casa Branca foi uma "fraude".

Apesar de, em seu discurso perante a convenção na segunda-feira, Sanders ter pedido a seus eleitores que apoiem Hillary nas eleições de novembro para evitar um triunfo do candidato presidencial republicano, Donald Trump, muitos se resistem a fazê-lo.

De fato, centenas de delegados e simpatizantes de Sanders se sentaram nas tendas para a imprensa instaladas na Convenção Democrata para protestar contra a indicação de Hillary.

"Meu partido me traiu hoje, fui uma democrata por 35 anos e, é uma pena, mas meu partido me traiu", disse à Agência Efe Nadine Gallagher, uma delegada de Oklahoma e professora que durante um ano se dedicou a participar da campanha de Sanders depois do trabalho.

"Acredito que Hillary ganhou fazendo trapaças. Sou uma professora e, se meus alunos fazem trapaças, o exame é suspenso. Era a vez de Sanders e o Partido Democrata fez de tudo para que ela fosse escolhida", considerou Gallagher, que assegura que não votará em novembro na ex-secretária de Estado "sob nenhuma circunstância".

Na mesma linha, Jane Kanagy, delegada de Ohio, comentou à Efe que está "chateada com o partido".

Kanagy comentou que, durante a convenção, não foi abordado o escândalo pelos e-mails vazados do Comitê Nacional Democrata (DNC) que revelaram estratégias de funcionários do partido para debilitar a campanha de Sanders em favor de Hillary.

"Eu não posso votar por suas políticas e sua plataforma", opinou Kanagy sobre Hillary.

Nesta noite o segundo dia da convenção será encerrado pelo ex-presidente Bill Clinton, que no Twitter se declarou "orgulhoso" pela indicação de sua esposa.

Hillary, por sua vez, aceitará formalmente a candidatura presidencial do Partido Democrata na quinta-feira com um discurso que encerrará a convenção de quatro dias e será apresentada por sua filha, Chelsea.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos