Senadora democrata critica "egoísmo" de Trump em discurso explosivo

Filadélfia (EUA), 25 jul (EFE).- A senadora Elizabeth Warren, símbolo progressista do Partido Democrata, advertiu nesta segunda-feira ao candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, que em novembro os americanos lhe deixarão claro que um "homem assim não pode nunca ser presidente".

Durante um discurso explosivo na Convenção Democrata, Warren criticou o egoísmo ininterrupto do magnata imobiliário, de quem disse que se dedica a "acirrar os ânimos" para ampliar as divisões, o ódio e o medo.

"Vocês escutaram algum tipo de ideia, alguma proposta sólida de Trump para aumentar a renda das pessoas ou melhorar a educação das crianças ou criar trabalhos bem pagos?", perguntou Warren aos milhares de presentes, que responderam com aplausos em favor da virtual candidata presidencial democrata, Hillary Clinton.

"Donald Trump não tem um plano real para criar ou melhorar trabalhos ou para os jovens universitários", respondeu a senadora, que assegurou que o multimilionário só tem planos para "gente rica como ele".

"Que tipo de homem engana estudantes, investidores e trabalhadores? Um homem que nunca deve ser presidente dos Estados Unidos", completou a senadora, que ressaltou a capacidade de Hillary e de seu companheiro de chapa, o senador Tim Kaine, para levar o país adiante.

Warren relatou sua história de juventude, ao casar-se aos 19 anos e conseguir estudos superiores apesar de vir de uma família humilde, um sonho que, segundo disse, teme que fique ancorado no passado e enterrado pela chegada na presidência de alguém como o magnata.

"Estou agradecida aos Estados Unidos. (...) Mas estou preocupada de que minha história fique pra trás", comentou Warren, que reconheceu que há pessoas que só conseguem chegar ao fim do mês com dois ou três empregos.

Perante as previsões catastróficas que o candidato do Partido Republicano realizou na semana passada durante sua convenção, Warren foi direta: "Aqui está a verdade, os Estados Unidos não estão a ponto de quebrar, há muita riqueza, a questão é como reparti-la".

"Sim, o sistema está quebrado. É certo", disse a senadora parafraseando Trump, que utiliza essa mesma afirmação para criticar o sistema eleitoral americano, mas que a senadora utilizou para falar da desigualdade e dos privilégios de "que estão no topo".

Warren, que chegou ao Senado após as eleições legislativas de 2012 e se transformou em um dos principais rostos da esquerda, ressaltou que nos últimos anos o governo de Barack Obama conseguiu evitar que as grandes corporações abusassem dos cidadãos, assim como tornou possível que os seguros médicos chegassem a mais pessoas.

No entanto, reconheceu as necessidades do país e disse que os Estados Unidos precisam de um presidente que "não aprove tratados comerciais que deixem os trabalhadores jogados", enquanto alguns presentes gritavam contra o Tratado Transpacífico (TPP).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos