Um dos terroristas da igreja tinha sido fichado pela polícia

Paris, 26 jul (EFE).- Um dos dois terroristas que mataram nesta terça-feira um sacerdote em uma igreja em Saint-Étienne-du-Rouvray, junto à cidade de Rouen, tinha sido fichado pela polícia e usava um bracelete eletrônico.

Segundo informou uma fonte judicial à emissora "France Info", o homem, cuja identidade ainda não foi confirmada da mesma forma que a de seu companheiro, tinha permissão para sair de casa de seus pais, onde residia, entre 8h30 e 12h30 locais.

O terrorista, que foi morto junto a seu companheiro após fazer cinco reféns em uma igreja durante uma hora e ferir dois deles -além de matar o sacerdote-, teve a prisão preventiva decretada em 2015, quando foi frustada na Turquia sua tentativa de se unir ao EI na Síria.

No entanto, em março deste ano ele ficou livre, controlado desde então pelo bracelete eletrônico, acrescentou a fonte.

O presidente francês, François Hollande, afirmou hoje que os dois autores eram "terroristas que reivindicaram pertencer ao Estado Islâmico (EI)".

Ambos eram "soldados do Estado Islâmico", segundo confirmou pouco depois a agência "Amaq", vinculada à organização terrorista, que disse que sua ação foi "em resposta às chamadas para atacar os países da coalizão cruzada", em alusão à aliança internacional que ataca posições jihadistas no Iraque e Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos