Obama diz que vitória de Trump é "possível" e teme ignorância de rival

Washington, 27 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira que considera "possível" uma vitória do candidato republicano, Donald Trump, e alertou que falta "conhecimento básico" sobre o mundo ao empresário.

"Tudo é possível", disse Obama ao ser perguntado sobre as chances de um triunfo de Trump em entrevista à emissora "NBC News".

"O que acredito que dá medo é um presidente que não sabe o que tem que saber e não parece ter interesse em aprender o que não sabe", afirmou o presidente, que deixa o poder em janeiro de 2017.

Obama afirmou que, em suas entrevistas coletivas e debates, Trump mostra carecer de um "conhecimento básico sobre o mundo, sobre o que é uma tríade nuclear, onde estão vários países ou a diferença entre sunitas e xiitas no mundo muçulmano".

"Essas são coisas que ele não sabe e não parece que tenha passado muito tempo tentando aprendê-las", ressaltou Obama.

O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, também fez críticas a Trump nesta quarta-feira, ao afirmar que o candidato republicano "não sabe nada de política externa" e que não tenta se rodear de pessoas que tenham conhecimento sobre o assunto em seu partido.

"Não acredito que ele saiba o que é o artigo 5 do Tratado da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte)", disse Biden em entrevista à emissora "MSNBC".

Obama, além disso, destacou que Trump não parece ter planos, políticas, propostas ou soluções específicas, e que isso o diferencia de outros candidatos republicanos anteriores.

O presidente também criticou o empresário por afirmar, em várias ocasiões, que somente ele sozinho pode resolver os problemas do país. "Não é assim que os fundadores desenharam nosso sistema político", disse Obama.

"Não somos um governo onde um só homem forte dá ordens a todos os demais e expatria seus inimigos. Acredito que é importante lembrar que vivemos a uma democracia. E, por definição, a forma como resolvemos os problemas é com todos participando, discutindo e tendo que fazer concessões", indicou o presidente.

Obama, que discursará na noite de hoje na Convenção Nacional do Partido Democrata e declarará seu apoio a Hillary Clinton nas eleições presidenciais, disse que Trump é alguém que "gosta de atenção" e que talvez tenha "ficado surpreso" por ter chegado tão longe na corrida republicana ao pleito de novembro.

Segundo Obama, os EUA teve "bons e maus presidentes", mas têm a vantagem de contar uma "descentralização e equilíbrio de poderes". No entanto, ressaltou que "um candidato que não aprecie essas tradições pode representar um problema".

"Se acho que o país pode sobreviver a um candidato em particular? Provavelmente, porque somos um país muito resistente. Mas isso não é algo que convenha arriscar", indicou o líder democrata.

Obama indicou que ao longo de sua carreira viu todo o tipo de loucura nas campanhas políticas e que por isso não podia descartar uma hipotética vitória de Trump em novembro.

"Meu conselho aos democratas: sigam preocupados até que a contagem dos votos seja divulgada. Um dos perigos em eleições como essa é que as pessoas não levem as coisas a sério e fiquem em casa. E que acabemos ficando com o inesperado", completou Obama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos