Estamos em guerra contra o Estado Islâmico, mas não contra o islã, diz Merkel

Em Berlim

  • Tobias Schwarz/AFP

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou nesta quinta-feira que o país está "em guerra contra o Estado Islâmico", algo que considerou "indiscutível", mas afirmou que não está "em nenhuma guerra contra o islã".

Em entrevista coletiva após os últimos atentados registrados no país, Merkel lembrou que a Alemanha participa da coalizão internacional que luta contra a organização jihadista na Síria e Iraque com aviões que realizam trabalhos de reconhecimento e fornecimento em voos e descartou ampliar seu compromisso por enquanto.

A chanceler considerou claro que os últimos atentados em Würzburg e Ansbach mostram que o terrorismo islamita chegou à Alemanha e insistiu que seu objetivo é atacar as sociedades abertas e seus valores de liberdade e solidariedade.

Merkel lamentou a "insegurança generalizada" que provocaram os atentados, protagonizados por refugiados, e ressaltou que a responsabilidade do Estado é restaurar a confiança dos cidadãos.

Nesse contexto, voltou a defender a política de amparo dos que fogem da guerra e da perseguição e garantiu que as medidas de segurança serão reforçadas.

A chanceler apresentou um plano de nove pontos com muitas das medidas já em andamento e que inclui, por exemplo, facilitar as expulsões de estrangeiros sem direito a asilo ou de refugiados que sejam delinquentes e envolver o Exército nos casos de alerta terrorista.

Alemanha está em alerta após quarto ataque em uma semana

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos