Presidente sírio oferece perdão aos rebeldes que entreguem suas armas

Beirute, 28 jul (EFE).- O presidente da Síria, Bashar al Assad, ofereceu nesta quinta-feira um indulto para os combatentes que entreguem suas armas e se rendam às autoridades, informou a agência de notícias oficial "Sana".

O líder emitiu um decreto que prevê o perdão total para "aqueles que carregam armas e são fugitivos da justiça se render e entregar" em um prazo de três meses desde a publicação do texto.

Al Assad também concede o perdão para os sequestradores que mantenham reféns e que os ponham em liberdade, "de forma segura e sem receber nada em troca", no período de um mês.

Desde a explosão do conflito na Síria, em março de 2011, Al Assad decretou diversas anistias, embora eles sempre foram excluídos geralmente aqueles que têm "sangue em suas mãos".

Um dos últimos indultos aconteceu no dia 17 de fevereiro, quando Al Assad declarou o perdão aos desertores do Exército nacional.

A medida de hoje coincide com o anúncio feito pela Rússia, aliada do governo de Damasco, do início de uma "grande operação humanitária" na cidade de Aleppo, que consiste na abertura de quatro corredores seguros para permitir que a população e os guerrilheiros da oposição moderada possam deixar a região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos