Turquia desarticula quartéis e bases aéreas utilizadas em tentativa de golpe

Istambul, 29 jul (EFE).- A base aérea de Akinci, utilizada pelos autores da tentativa de golpe em 15 de julho na Turquia, será desmontada, da mesma forma que outros quartéis em Ancara e Istambul, afirmou nesta sexta-feira o primeiro-ministro Binali Yildirim.

"A base traidora de Akinci será desmantelada e transformada em um lugar onde se manterá viva a memória dos mortos", disse o chefe do governo, em referência às vítimas da tentativa golpista, na qual 265 pessoas morreram.

"Fecharemos todos os quartéis de Ancara e Istambul de onde saíram tanques e helicópteros. Aqueles que atropelaram à nação nunca voltarão a encontrá-los lá. O lugar será um espaço lindo para o lazer dos moradores", prometeu Yildirim.

O chefe do governo fez estas declarações, publicas pela agência "Anadolu", durante um comício realizado em uma praça da capital turca.

"Qual o sentido dos tanques em Ancara e Istambul? Ancara e Istambul não são os inimigos. Está claro onde está o inimigo", disse o primeiro-ministro, acrescentando que futuramente os veículos blindados militares serão mantidos fora das cidades.

"Com certeza traremos à Turquia o chefe terrorista que está nos Estados Unidos e é responsável pelo golpe", disse Yildirim, em referência ao clérigo e escritor exilado Fethullah Gülen, considerado pelo governo o mentor do golpe, apesar de ele negar qualquer envolvimento.

A Turquia garantiu ter preparado o pedido de extradição, mas o governo americano ainda não confirmou ter recebido a solicitação formal, que deveria incluir provas da culpabilidade do teólogo. Fethullah Gülen foi aliado do governo turco até 2013.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos