Sérvia começa a devolver bens a judeus vítimas do Holocausto

Em Belgrado

A Sérvia começou a devolver à comunidade judaica os bens que pertenciam a vítimas do Holocausto sem herdeiros, conforme uma lei de fevereiro, informou nesta segunda-feira (1º) a agência de restituição sérvia.

Dois escritórios no centro de Belgrado foram restituídos à comunidade judaica da capital sérvia na primeira devolução, que tinha sido decidida já no mês passado.

"Espera-se que em breve haja novas decisões", declarou uma fonte da citada agência.

O parlamento sérvio aprovou em fevereiro uma lei para devolver à comunidade judaica os imóveis de vítimas do Holocausto sem herdeiros que foram apreendidos pelos nazistas e depois naturalizados pelo regime comunista na Iugoslávia.

A lei regula a restituição dos ativos imobiliários apreendidos dos judeus entre abril de 1941 e maio de 1945, durante a ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial.

A Sérvia já tinha uma lei de restituição dos bens confiscados durante o nazismo e naturalizados pelo comunismo, mas esta nova norma incluiu as propriedades de que não deixaram herdeiros legais vivos.

A lei também inclui entregar a partir de 2017 uma ajuda de 950 mil euros anuais durante 25 anos à Associação das comunidades judaicas da Sérvia, que será investida em programas de investigação e educação sobre o Holocausto e assistência aos sobreviventes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos