Lei permite porte de armas em universidades públicas do Texas

Washington, 1 ago (EFE).- Uma controversa lei que permite levar armas para as universidades públicas do Texas, nos Estados Unidos, entrou em vigor nesta segunda-feira durante a lembrança do 50º aniversário de um massacre que deixou 14 mortos no campus da Universidade do Texas (UT), em Austin.

A norma, conhecida como "campus carry", permite que aqueles que tenham porte de armas emitidas pelo estado - uma condição que exclui os menores de 21 anos - possam levá-las na maioria de instalações universitárias com alguma exceção.

O "campus carry" entrou em vigor apenas para as universidades públicas do Texas, onde cursam mais de 500 mil estudantes, enquanto as instituições privadas, que podiam escolher se implementavam ou não a norma, optaram por não fazê-lo.

Em algumas das instituições públicas limitaram o alcance da medida para salas de aula, faculdades ou bibliotecas, mantendo a proibição em dormitórios de estudantes, laboratórios ou eventos esportivos.

Na maior instituição pública e prestigiada do estado, a Universidade do Texas também tem sido um grande foco de oposição a uma norma aprovada pela Legislatura do Texas, de maioria arrasadora republicana.

Seus defensores argumentam que a presença de pessoas armadas permitirá salvar vidas no caso de um tiroteio, os opositores dizem que é uma bomba-relógio e que a presença de alunos armados não promove o espírito do debate universitário.

O presidente da UT, Greg Fenves, afirmou há uns meses que as armas "não pertencem" à instituição que dirige e seu único integrante detentor de um Nobel, Steven Weinberg (Física, 1979), disse que proibirá a entrada de estudantes armados em suas aulas ou que deixará a UT.

Fenves presidiu nesta segunda uma homenagem aos 14 mortos do massacre do 1º de agosto de 1966 na Universidade do Texas, considerado o primeiro tiroteio em massa em um campus universitário dos EUA que serviu como inspiração para muitos outros.

O assassino, Charles Whitman, era um estudante e ex-marinheiro com problemas psicológicos que minutos antes de protagonizar o massacre na UT, tinha matado sua mãe e sua esposa. Ele acabou morto pela polícia.

Texas é o oitavo estado que implementa uma lei deste tipo depois do Oregon, Idaho, Utah, Colorado, Wisconsin, Kansas e Mississipi, onde, até o momento, não tenha registro de algum indicente por conta dela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos