Obama justifica ataques dos EUA na Líbia para "que o EI não ganhe força" ali

Washington, 2 ago (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, justificou nesta terça-feira o início dos ataques americanos contra o Estado Islâmico (EI) na Líbia, que começaram ontem, ao considerar necessário assegurar que o grupo jihadista "não ganhe força" nesse país do norte da África, se aproveitando de sua instabilidade política.

"A pedido desse governo e, depois que eles já tivessem feito avanços significativos contra o EI", os EUA efetuaram os ataques porque "faz parte dos interesses de segurança nacional dos Estados Unidos assegurar que (o Executivo líbio) possa terminar esse trabalho e evitar que o EI ganhe força na Líbia", disse Obama em entrevista coletiva na Casa Branca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos