Oposição solicita início do último passo para referendo revogatório de Maduro

Caracas, 2 ago (EFE).- A aliança opositora venezuelana Mesa da Unidade Democrática (MUD) solicitará nesta terça-feira ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) a ativação do último passo prévio ao referendo revogatório com o qual os opositores pretendem pôr fim ao mandato do presidente do país, o chavista Nicolás Maduro.

"Hoje nos entregaram a referida constância de 1% do padrão eleitoral e com isso na mão imediatamente entraremos com a solicitação formal da convocação para 20% dos eleitores para iniciar o referendo. A partir disso, o CNE tem a obrigação moral e o dever regulamentar de dar resposta a essa solicitação", informou o secretário-executivo da opositora MUD, Jesús Torrealba, em seu programa transmitido pela internet.

Os opositores farão esta solicitação ao CNE horas depois que o Poder Eleitoral anunciou que a plataforma cumpriu com o passo prévio para avançar no revogatório.

A presidente do Poder Eleitoral, Tibisay Lucena, anunciou na segunda-feira que a MUD superou amplamente o requisito necessário para poder legitimá-lo como promotor de um referendo revogatório do primeiro líder venezuelano, que consistia em reunir pelo menos cerca de 200 mil assinaturas de respaldo.

As rubricas que foram recolhidas em dois dias foram rigorosamente verificadas e validadas pelo CNE ao longo dos últimos três meses.

A etapa que os opositores devem iniciar agora e para a qual pedem que o CNE fixe a data consiste na coleta de manifestações a favor do ato revogatório em um número superior a 20% do registro de eleitores, ou seja, cerca de 4 milhões de eleitores.

Este seria o último passo para que se possa convocar o referendo.

Segundo as contas de Vicente Bello, membro da equipe técnica da MUD para o referendo revogatório, o tempo deve permitir que essas assinaturas referentes a 20% possam se coletadas durante os dias 9, 10, e 11 de setembro.

Embora a norma estabeleça que a MUD tem dois dias para fazer a solicitação da segunda fase e o CNE por sua parte terá até 15 dias para responder a este requerimento, os opositores sustentam que este passo pode ser encurtardo se Lucena se apegar ao princípio constitucional de "rapidez".

"Não há necessidade de retardar este processo, e se nós entrarmos com essa solicitação no mesmo dia de hoje, o CNE deve nos dar uma resposta imediata, eles vão dizer que o CNE tem 15 dias para estudar essa solicitação, mas essa solicitação não tem muito o que estudar, isso são duas folhas, dois ofícios", disse Bello.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos