China demora um ano para reportar incidente em uma de suas usinas nucleares

Pequim, 4 ago (EFE).- Quatro operários de uma usina nuclear em Yangjiang (sul da China) foram punidos por ocultar um problema técnico que causou o não funcionamento do sistema de refrigeração de um dos principais reatores, admitiu o Ministério do Meio Ambiente chinês mais de um ano depois do fato.

Segundo informa nesta quinta-feira o jornal "South China Morning Post", as ações dos operários fizeram com que um sistema de bombeamento de calor residual deixasse de funcionar durante seis minutos, mas não reportaram a ocorrência no registro da central, como era sua obrigação.

O Ministério não informou se o fato, ocorrido em 22 de março de 2015, produziu um vazamento de radiação ou supôs uma ameaça à segurança na zona, situada na província de Cantão, cerca de 200 quilômetros ao oeste de Hong Kong.

As autoridades ambientais ditaram sanções administrativas contra os operários em 26 de julho, embora não informaram sobre estes castigos até o dia 2 de agosto.

A central de Yangjiang inaugurou em março de 2014 e foi o primeiro projeto atômico iniciado na China depois do recesso de três anos que ordenaram as autoridades após o acidente nuclear em Fukushima (Japão), em 11 de março de 2011.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos