Agressor de policiais na Bélgica era argelino fichado por crimes comuns

(Acrescenta dados do agressor)

Bruxelas, 7 ago (EFE).- O autor do ataque com um facão contra a polícia de Charleroi, ao sul de Bruxelas, aos gritos de "Alá é grande" era um argelino de 33 anos e estava fichado pelas forças de segurança por crimes comuns, mas não por terrorismo, informou neste domingo o Ministério Público em um comunicado.

Identificado como K.B., o agressor, que faleceu em um hospital pouco depois dos fatos ocorridos ontem após ser atingido por disparos, residia na Bélgica desde 2012, segundo a fonte.

O secretário de Estado de Asilo e Migração, Theo Francken, confirmou à Agência Belga que o agressor esteve de maneira ilegal no país e ignorou duas ordens para deixar a Bélgica.

K.B. não esteve em um centro de detenção devido à falta de vagas, indicaram os veículos de imprensa, que disseram que foi dada prioridade para crimes graves.

Além disso, a Argélia não tinha aceitado sua devolução, agregaram as fontes.

O Ministério Público assumiu a investigação "por tentativa de assassinato terrorista", anunciou o primeiro-ministro belga, Charles Michel, em entrevista coletiva após uma reunião com os responsáveis dos serviços de segurança.

"Dada a existência de indícios que permitem pensar que o ataque estava inspirado em motivos terroristas, o Ministério Público decidiu no sábado tomar as rédeas da investigação", explicou o porta-voz do Ministério Público, Eric Van der Sijpt.

Um juiz de instrução especializado em matéria de terrorismo foi atribuído ao caso, acrescentou.

A instrução está em curso, afirmou Van der Sijpt, que explicou que durante a noite de sábado para domingo foram feitas batidas policiais em Charleroi.

Segundo a rede de televisão pública "RTBF", as forças da ordem belgas revistaram o domicílio do agressor e outro imóvel e interrogaram toda a noite pessoas do entorno de K.B.

De acordo com a fonte, o agressor não usava identificação e nem telefone celular (celular) no momento da agressão.

O ataque aconteceu no sábado em um posto de controle exterior à sede da Polícia em Charleroi.

O agressor levava uma mochila, da qual tirou o facão, e atacou duas mulheres membros das forças da ordem que controlavam o acesso à sede policial, deixando outra gravemente ferida e outra com ferimentos leves.

Outra agente disparou contra o tórax e a perna do agressor, que morreu no hospital.

Sua mochila foi analisada pela unidade especial de explosivos, mas não foram encontradas nem armas e nem explosivos.

O Ministério Público disse que por enquanto não proporcionará informação adicional sobre a investigação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos