Estado de Jalisco ganha espaço de ajuda para quem quer mudar de sexo

Mariana González.

Guadalajara (México), 7 ago (EFE).- O litoral oeste do México ganhou recentemente uma casa que presta assistência no difícil processo vivido por aqueles que decidiram fazer cirurgias para mudar de sexo ou foram rejeitados por suas famílias por mudar de gênero.

"O local é o primeiro do país a oferecer um espaço de assessoria e acompanhamento médico, psicológico e jurídico", disse à Agência Efe o presidente da instituição, Izack Zacarías, que decidiu deixar para trás sua história como mulher. De acordo com o ativista, o lugar é um refúgio onde todos podem chegar, se acomodar e "buscar uma solução para poder continuar a vida".

Em poucos meses de funcionamento, a Impulso Trans recebeu 20 pessoas de estados do norte e do centro do México. Quem chega a esta casa de dois quartos localizada nos arredores da cidade traz um histórico "emocional complicado", não só por aceitar que quer mudar de gênero, mas também por enfrentar a família ao comunicar a decisão.

"Não há estatísticas, mas das pessoas que eu conheço pelo menos a metade sofreu rejeição familiar e teve que sair de casa", afirmou Zacarías.

Edgar González Galarza, psicólogo e sexólogo que assessora e acompanha quem chega lá, explica que a equipe tenta ir em busca dos pais dos "moradores" do abrigo com a intenção de conseguir uma reconexão, e em alguns casos as histórias terminam com final feliz.

Conforme explicou, o apoio familiar é fundamental para quem decide fazer o procedimento de mudança de sexo, já que com isso diminuem as chances de a pessoa cair em situações de risco, como o uso de drogas e a prostituição, sobretudo no caso das mulheres.

Além do acompanhamento psicológico, o público que procura o local busca atendimento e acompanhamento médico com especialistas que conhecem como é o processo de transição desde o início do tratamento hormonal até as cirurgias necessárias para modificar o corpo, caso a pessoa opte por isso.

"É um processo longo, cansativo e caro", disse Zacarías, que viveu a rejeição de médicos de clínicas particulares que recusaram atendê-lo por motivos éticos ou simplesmente tentaram convencê-lo de desistir por "razões morais e religiosas".

Said, de 18 anos e que não quer que seu sobrenome seja divulgado a pedido da mãe, saiu do DF rumo a Guadalajara com a ajuda da Casa Impulso Trans para fazer uma mastectomia bilateral que lhe permitiria se tornar mais masculino, como sempre quis.

"É necessário para que eu possa ficar bem comigo mesmo", esclareceu o jovem.

Seus pais o "aceitaram", mas ele admite que ainda assim foi "difícil" enfrentar o processo.

"No início tinha, acima de tudo, medo. É uma mudança e é o medo do que vai acontecer. Aos poucos, essa aceitação começou a aumentar", explicou Said, que agora sente orgulho porque o tratamento de testosterona está dando resultado e ele já tem um bigode, ainda que modesto.

Para proporcionar aos "moradores" da casa a possibilidade de encontrar um emprego, a Impulso Trans se associou com algumas empresas inclusivas. O grupo também se encarrega de fazer a mudança da identidade jurídica, através da modificação da certidão de nascimento, um processo que só pode ser feito na Cidade do México.

"Tem muito transgênero que já decidiu fazer seu processo legal", disse Galarza, que estima que em poucos meses já ajudou cerca de 400 pessoas de Jalisco a fazer os trâmites legais na capital.

Desde 2015, o Cartório Civil da Cidade do México permite aos que se submeteram ao processo de mudança de sexo que contem com uma certidão de nascimento compatível com sua nova identidade de gênero.

Essa mudança se transformou em "um ato administrativo" com o qual os transgêneros obtenham uma nova identidade e, acima de tudo, respeito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos