Oposição síria acusa Rússia de usar bombas de fragmentação

Cairo, 7 ago (EFE).- A Coalizão Nacional Síria (CNFROS), principal formação política opositora, denunciou neste domingo que a aviação da Rússia está lançando contínuos ataques com foguetes e inclusive bombas de fragmentação, proibidas internacionalmente, contra a cidade de Saraqeb, na periferia de Idlib, no norte da Síria.

Em comunicado, o grupo opositor cifrou em 80 esses bombardeios, que provocaram o deslocamento de quase 35.000 residentes da cidade.

A coalizão acrescentou que os ataques destruíram bairros inteiros, casas e edifícios importantes, entre eles o mercado, o banco de sangue, o estacionamento de ambulâncias e as instalações de fornecimento de água da cidade.

A CNFROS qualificou estas ações como "crime de guerra e violação grave", o que, segundo sua opinião "merece a condenação e o desprezo da comunidade internacional".

Além disso, pediu às organizações internacionais e países estrangeiros que tomem medidas urgentes a respeito.

Na quinta-feira passada, a CFNROS também acusou à Rússia de empregar gás tóxico em um ataque sobre áreas residenciais de Saraqeb.

A Defesa Civil síria, um grupo de voluntários que desenvolve trabalhos de resgate, denunciou um bombardeio com gás cloro nessa cidade no início da semana.

No último dia 28 de julho, a organização Human Rights Watch (HRW) acusou à Rússia e à Síria de terem utilizado amplamente munição de cacho em suas últimas ofensivas militares conjuntas no país árabe.

As munição de cacho foram proibidas em 2008 devido a seu impacto indiscriminado sobre os civis e o dano prolongado que provocam.

Geralmente, após serem disparadas, explodem no ar e espalham dezenas e, às vezes, centenas de pequenas bombas sobre áreas do tamanho de um campo de futebol, mas frequentemente o mecanismo falha e não explodem, com o que deixam destroços tão perigosos quanto as minas antipessoais.

Um total de 108 países assinou a convenção internacional que as proíbem, que, por outro lado, não foi assinada por Rússia, Estados Unidos ou Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos