Tailandeses votam Constituição proposta pela Junta Militar

Bangcoc, 7 ago (EFE).- Os tailandeses decidem neste domingo nas urnas se aceitam ou descartam a Constituição proposta pela Junta Militar que governa o país há dois anos, após uma campanha marcada pela detenção de opositores e o veto a todo debate prévio.

Cerca de 50 milhões de pessoas devem votar na convocatória que começou às 8h (horário local, 22h em Brasília) e que terminará às 16h (6h).

A votação transcorre com normalidade e sem incidentes de destaque.

O presidente da junta e primeiro-ministro, Prayut Chan-ocha, votou no centro eleitoral de Soi Pradipat 5, em Bangcoc, depois das nove da manhã e na saída convocou seus compatriotas a participar.

As autoridades esperam conseguir um índice de afluência de pelo menos 70%, 10% menos que no referendo constitucional de 2007.

O votante deverá responder a duas perguntas: se quer esta Constituição e se deseja que o Senado intervenha na eleição do primeiro-ministro.

As autoridades disseram que o país, que conta com uma Constituição interina desde o golpe de Prayut, realizará eleições gerais em 2017.

A Tailândia teve 19 constituições, quase todas elas derrogadas após a intervenção dos militares, desde o fim da monarquia absolutista, em 1932.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos