Grupo lança campanha para que Hillary e Trump não se esqueçam de Cuba

Miami, 8 ago (EFE).- O Fórum Cubano pelos Direitos e Liberdades (ForoDyL, sigla em espanhol) lançou nesta segunda-feira uma campanha pública no Twitter para reivindicar aos candidatos à Casa Blanca Hillary Clinton e Donald Trump que ponham Cuba em suas agendas como tema prioritário.

"!Cuba importa!" é o nome da campanha dirigida especialmente aos eleitores americanos, mas que qualquer pessoa com uma conta na rede social pode participar simplesmente entrando no site do grupo e enviando uma mensagem à democrata Hillary, ao republicano Trump e/ou ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

"Com mais de um ano da aproximação entre a administração do presidente Barack Obama e o regime de Havana, a sociedade cubana experimentou um processo de deterioração acelerado que resultou em uma intensificação da repressão policial sobre a população civil e uma das maiores crises migratórias de sua história", explicou o grupo no comunicado de apresentação.

A organização considera fundamental que quem ganhe as eleições presidenciais de 8 de novembro nos Estados Unidos "garanta um manejo adequado de suas relações com o regime de Havana". O ForoDyL é formado por sete organizações opositoras dentro de Cuba.

"A nova administração deve contribuir à democratização da sociedade cubana longe de apoiar uma transição de poder dentro da família Castro, o que traria consequências catastróficas para ambos os países e para toda a região", afirmou.

O objetivo da campanha é "amplificar a voz dos eleitores que desejam uma Cuba estável, livre e democrática".

Uma das mensagens que podem ser enviadas em inglês diz "Castro deve sair antes que seja tarde demais", acompanhada de uma foto de Raúl Castro, presidente de Cuba, ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin, e outra junto líder da China, Xi Jinping. Uma variante mostra a imagem de uma balsa cheia de cubanos com a legenda "Castro deve ir embora ou continuaremos chegando", também em inglês.

No caso de Clinton a legenda termina com as frases "Faça de Cuba uma prioridade em novembro. Juntos seremos mais fortes". No de Trump, a segunda frase muda para "Juntos seremos maiores", em alusão a ao lema de sua campanha, que propõe fazer aos Estados Unidos "grande" outra vez. A de Obama, por sua vez, faz alusão ao seu lema "Sim, nós podemos" e diz "Sim, o senhor pode fazer algo". Todas as mensagens são acompanhadas das hashtags #Elections2016 e #CubanVote. EFE

ar/cdr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos