Liberais cogitam apoiar Rajoy com a condição de que ele realize reformas

Madri, 9 ago (EFE).- O líder do partido liberal Ciudadanos, Albert Rivera, assegurou nesta terça-feira que seu grupo "está aberto" a votar favoravelmente pela reeleição de Mariano Rajoy como presidente do governo da Espanha, mas condicionou seu apoio a seis reformas em matéria de regeneração democrática e contra a corrupção.

Junto com essas medidas, Rivera também exigiu que Rajoy determine "data e hora" para a sessão de posse, algo que o presidente do governo vem evitando fazer desde que aceitou a incumbência do rei Felipe VI para tentar formar governo.

Esta é a primeira vez que um partido se propõe a apoiar com um voto favorável o chefe do Executivo interino, cujo partido, o conservador PP, ganhou a repetição eleitoral de 26 de junho, mas sem maioria suficiente para governar.

Se o Ciudadanos finalmente apoiar Rajoy, este contaria com 169 votos a favor (32 liberais e 137 dos conservadores), o que lhe deixaria a menos de uma dezena de votos do "quorum" parlamentar necessário para ser reeleito.

Um dirigente conservador do alto escalão, Javier Maroto, garantiu hoje que Rajoy está disposto a oferecer "tudo" ao líder liberal para conseguir formar governo na Espanha o mais rápido possível.

Os pedidos dos liberais são seis: que nenhum cargo público acusado ocupe postos no Executivo ou no parlamento; a entrada em vigor de uma nova Lei Eleitoral; e o fim dos indultos por corrupção política.

Além disso, os liberais querem a limitação de mandatos de oito anos; a transparência, segundo a qual há que ser criada uma comissão de investigação sobre o suposto financiamento irregular do PP, e, finalmente, a eliminação do foro privilegiado.

"Temos que deixar de pensar nos partidos para pensar na Espanha", afirmou Rivera nesta terça-feira em seu comparecimento no Congresso, onde amanhã está previsto que se reúna pela segunda vez com Rajoy.

O líder do Ciudadanos, um dos dois partidos emergentes que acabaram com o bipartidarismo com sua entrada no Congresso, advertiu hoje que o apoio a Rajoy em sua posse não implica um acordo de governo e que posteriormente negociarão uma a uma todas as iniciativas parlamentares.

A atitude expressada hoje pelos liberais é uma mudança completa em relação aos últimos meses, nos quais reiteraram em várias ocasiões que não apoiariam a reeleição de Rajoy por sua vinculação com casos de corrupção na última legislatura.

A atitude dos liberais também aumenta a pressão sobre o Partido Socialista (PSOE, 85 deputados), a quem o PP e o Ciudadanos pedem que se abstenha para desbloquear a situação política, mas os socialistas reiteraram que não mudarão o sentido de seu voto negativo e pediram respeito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos