Cunhado de agressor da "Charlie Hebdo" pede ser extraditado para a França

Sófia, 10 ago (EFE).- Murad Hamid, cunhado de Chérif Kouachi, um dos autores do ataque de 2105 contra a revista francesa "Charlie Hebdo", pediu nesta quarta-feira às autoridades da Bulgária, onde está detido, que lhe extraditem de forma imediata para a França.

O jovem, de 20 anos e detido na Bulgária no final de julho por supostas atividades terroristas, compareceu hoje a um tribunal em Sófia que deve decidir sobre a entrega solicitada pelas autoridades francesas.

"Não é justo. Insisto em que aqui não se respeitam meus direitos, porque não me fornecem bebidas na prisão e me tratam como um cachorro", disse Hamid aos veículos de imprensa ao entrar no tribunal.

Hamid, cidadão francês e irmão da esposa de Chérif Kouachi, entrou na Bulgária vindo da Sérvia em 26 de julho e dois dias depois cruzou a fronteira para a Turquia, onde foi detido como suspeito de pertencer ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Da Turquia, foi enviado de volta à Bulgária, onde foi detido.

O acusado tem três dias para mudar de opinião sobre sua solicitação de ser extraditado.

Se não a modificar, espera-se que o tribunal búlgaro ordene sua entrega na próxima terça-feira.

A Promotoria búlgara informou na segunda-feira passada sobre a detenção de Hamid, que aconteceu conforme uma ordem europeia de detenção emitida pela Justiça francesa.

Se suspeita que Hamid, considerado por Paris uma "ameaça para a segurança nacional" e declarado desaparecido no sistema informativo de Schengen de livre circulação na Europa no mês passado, pretendia viajar para a Síria ou Iraque para combater nas fileiras do EI.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos