Zâmbia termina votações sem incidentes e com grande participação

Lusaka, 11 ago (EFE).- Os colégios eleitorais da Zâmbia fecharam nesta quinta-feira por volta das 18h (horário local, 13h em Brasília) como estava previsto após um dia marcado pela alta participação e a ausência de incidentes, apesar da grande tensão registrada durante a campanha.

Além das eleições gerais e presidenciais, os zambianos deviam votar um plebiscito para realizar várias emendas na declaração de direitos políticos e civis da Constituição do país.

A observadora-chefe da missão Eleitoral da União Europeia, Cecila Kyenge, se mostrou impressionada com a participação e a ausência de incidentes e parabenizou a Comissão Eleitoral da Zâmbia pela organização das eleições.

Segundo Kyenge, a alta participação é uma clara mostra de que os zambianos entenderam a importância de exercer seu direito democrático, não só nas eleições, mas também no plebiscito para modificar a Constituição.

O chefe da Comissão Eleitoral da Zâmbia, Esau Chulu, antecipou que o organismo declarará o vencedor do pleito 48 horas depois que forem contabilizados todos os votos e pediu aos partidos políticos que sejam "pacientes".

O presidente do país e candidato à reeleição, Edgar Lungu, pediu aos cidadãos que logo após votar voltassem para casa e esperassem os resultados para evitar confrontos entre seus partidários e os de seu máximo rival, o líder do Partido Unido para o Desenvolvimento Nacional, Hakainde Hichilema.

Cerca de 6,7 milhões de zambianos foram convocados às urnas no país, apenas um ano e meio depois do último pleito, realizado para substituir o presidente Michael Sata, falecido vítima de uma doença. EFE

mc/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos