EUA garantem ter matado líder do EI no Afeganistão e no Paquistão

Washington, 12 ago (EFE).- O Pentágono garantiu nesta sexta-feira que matou em um ataque aéreo Hafiz Sayed Khan, o líder do Estado Islâmico (EI) no Afeganistão e no Paquistão.

Khan era considerado o emir da província de Levante-Khorasan, a área de operações da organização jihadista no Afeganistão, no Paquistão e em Bangladesh.

O ataque aconteceu, segundo o porta-voz do Pentágono, Gordon Trowbridge, no último dia 26 de julho na província afegã de Nangarhar, no leste, perto da fronteira com o Paquistão.

Segundo Trowbridge, a morte de Khan "afetará os esforços do recrutamento de EI e interromperá as operações do EI no Afeganistão e na região".

O EI esteve muito ativo na área fronteiriça entre Afeganistão e Paquistão desde 2015, ocupando aldeias, atacando às forças de segurança afegãs e realizando atentados nos dois países.

Os Estados Unidos, que mantêm cerca de 10.000 soldados no país, seguem apoiando às tropas afegãs com treinamento e assessoria perante os avanços dos talibãs e do EI.

Em maio, um ataque aéreo americano similar matou no Paquistão o mulá Mansour, líder dos talibãs afegãos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos