Primeiro-ministro da Tailândia pede calma e diz que situação está controlada

Bangcoc, 12 ago (EFE).- O primeiro-ministro da Tailândia, Prayuth Chan-ocha, pediu nesta sexta-feira calma à população e garantiu que a situação está controlada, após uma série de atentados a bomba em seis províncias, deixando quatro mortos e 35 feridos.

"As bombas são uma tentativa de criar o caos e confusão", afirmou o general durante entrevista para veículos de imprensa, segundo a agência de notícias local "TNA".

A série de atentados começou na quinta-feira com uma explosão em um mercado da cidade de Trang, capital do sul da província do mesmo nome, que causou uma morte e deixou sete feridos.

E seguiu até hoje, com mais de uma dúzia de explosões e vários artefatos explosivos detonados.

Dez turistas estrangeiros (quatro alemães, três holandeses, dois italianos e um austríaco) ficaram feridos, um com gravidade, na segunda das duas bombas que explodiram ontem, com 30 minutos de diferença na cidade portuária de Hua Huan, situada cerca de 150 quilômetros ao sudoeste de Bangcoc.

Phuket, outro importante destino turístico da Tailândia, também sofreu com a onda de violência, com três bombas que explodiram e deixaram uma pessoa ferida e outros dois artefatos explosivos na praia de Patong que foram neutralizadas.

Surat Thani, Phang Nga e Chumphon completam a lista de províncias afetadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos