Tailândia investiga vínculos de atentado em Hua Hin com insurgência muçulmana

Bangcoc, 12 ago (EFE).- Autoridades da Tailândia estão investigando ligações entre o atentado a bomba que causou na quinta-feira pelo menos um morto e 22 feridos na cidade litorânea de Hua Hin e os movimentos de insurgência muçulmano que atuam no sul do país.

"As bombas, detonadas a distância com um telefone celular, são do mesmo tipo das que utilizam os insurgentes no sul da Tailândia", disse à Agência Efe, por telefone, um porta-voz da polícia de Hua Hin, um dos destinos turísticos do país e situado cerca de 150 quilômetros ao sudoeste de Bangcoc.

Pelo menos uma pessoa morreu e 21 ficaram feridas, entre elas vários estrangeiros, nas explosões quase seguidas de duas bombas neste enclave turístico, confirmou o oficial.

Às 8h (hora local) desta sexta-feira, foram registradas duas explosões em frente a uma delegacia da cidade de Surat Thani, deixando um morto e dois feridos, de acordo com o portal de notícias "Spring News".

Outras explosões também ocorreram em Hua Hin e Phuket, segundo veículos de imprensa locais.

Ninguém reivindicou a autoria das explosões consecutivas em Hua Hin.

A série de atentados teve início na quinta-feira quando uma bomba explodiu em um mercado da capital da província de Trang, localizada no sul da Tailândia, deixando um morto e sete feridos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos