Ministra sueca renuncia depois de seu teste do bafômetro dar positivo

Em Copenhague

  • TT News Agency/Vilhelm Stokstad/Reuters

    A ministra sueca Aida Hadzialic

    A ministra sueca Aida Hadzialic

A ministra da Educação Secundária e para Adultos da Suécia, Aida Hadzialic, anunciou neste sábado (13) que vai renunciar o cargo após ter sido reprovada em um teste do bafômetro.

Em entrevista coletiva, ela revelou há alguns dias foi submetida a um teste do bafômetro em Malmo, no sul do país, quando voltava de carro de um show em Copenhague e que o exame contabilizou 0,2 miligramas de álcool em seu sangue, a quantidade mínima que a Suécia considera crime. No Brasil o limite mínimo é de 0,5 miligramas.

"Decidi pegar o carro para Malmo achando por que já não estava mais sob os efeitos do álcool", declarou a ministra, que disse ter tomado vinho horas antes de ser parada em uma blitz rotineira da Polícia, que aplicou uma multa e denunciou o caso às autoridades.

Aida lamentou ter "decepcionado" muita gente e disse estar "com raiva de si mesma", além de "profundamente arrependida".

O primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, social-democrata assim como Aida, afirmou em comunicado compartilhar com a ministra de sua "análise sobre a gravidade da situação" e lamentou "perder uma apreciada e bem-sucedida colega", que apresentará formalmente sua renúncia na segunda-feira. A titular da Educação Superior, Helene Hellmark Knutsson, assumirá provisoriamente o cargo.

Atualmente, com 29 anos e originária de Bósnia-Herzegóvina, Aida assumiu o ministério em 2014, quando um governo em minoria de coalizão entre social-democratas e ecologistas assumiu o poder, e se transformou então na ministra mais jovem da história da Suécia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos