Trump aumenta ataques contra imprensa em momento de queda nas pesquisas

Washington, 14 ago (EFE).- O candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, aumentou neste fim de semana seus ataques contra os meios de comunicação em um momento de queda nas pesquisas de intenção de voto, que dão vários pontos de vantagem para sua rival, a democrata Hillary Clinton, nas eleições de novembro.

Trump costuma incentivar o público em seus comícios a vaiar os veículos de imprensa "desonestos" e resolveu intensificar seus ataques por causa de um artigo publicado neste sábado no jornal "The New York Times", que descreve as constantes tentativas de sua campanha para conseguir controlar seus discursos intempestivos.

"O fracassado @nytimes fala sobre entrevistas anônimas e reuniões que nunca ocorreram. Sua cobertura informativa é pura ficção. Os veículos de imprensa protegem Hillary!", escreveu Trump no Twitter neste domingo.

"Se os repugnantes e corruptos veículos de imprensa cobrissem minha campanha de forma honesta e não deturpassem o significado das palavras que digo, eu estaria ganhando de Hillary por 20%", tuitou o magnata.

No final de julho, Trump começou a despencar nas pesquisas e ainda não se recuperou, por isso Hillary leva uma vantagem de 6,8 pontos em nível nacional, segundo a média de levantamentos elaborada pelo site "RealClearPolitics".

Por enquanto, a ex-secretária de Estado está ganhando do magnata em vários estados-chave, como Flórida, Pensilvânia e Virgínia, que são especialmente importantes para as perspectivas de Trump em novembro.

O candidato republicano parece ter decidido culpar os veículos de imprensa por essa queda, a julgar por suas declarações de ontem em um comício em Fairfield, no estado de Connecticut.

"Não estou concorrendo contra a corrupta Hillary, estou concorrendo contra os meios de comunicação corruptos", garantiu Trump durante o evento.

Os veículos de imprensa "não cobrem adequadamente" os comícios de Trump, "nunca falam sobre a verdadeira mensagem, nem mostram a multidão de pessoas presentes, nem seu entusiasmo", escreveu hoje o candidato no Twitter.

Em seu comício deste sábado, Trump ameaçou retirar as credenciais do "New York Times" para a cobertura de seus eventos de campanha, como já fez com outras publicações, como "Washington Post", "Politico", "Huffington Post" e "BuzzFeed", por considerar sua cobertura injusta e inadequada.

Mike Pence, o candidato republicano à vice-presidência, assegurou hoje que a possibilidade de devolver as credenciais para esses meios "é algo que está sendo cogitado" dentro da campanha, mas deu a entender que o banimento de alguns veículos não está afetando a campanha do magnata.

"Não acredito que Donald Trump esteja tendo problemas para conseguir cobertura midiática. Ele consegue atrair muita atenção", disse Pence à rede de televisão "Fox News".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos