EUA transferem 15 presos de Guantánamo aos Emirados Árabes Unidos

Washington, 15 ago (EFE).- O governo dos Estados Unidos informou nesta segunda-feira da transferência aos Emirados Árabes Unidos de 15 presos que estavam encarcerados na base militar de Guantánamo, em Cuba.

Com a transferência destes 15 detentos - 12 iemenitas e três afegãos -, o número de prisioneiros em Guantánamo, que chegou a ter cerca de 800 em 2002, cai para 61.

Em comunicado, o Pentágono indicou que a decisão foi tomada depois que um grupo de analistas formado por representantes de seis departamentos e agências do governo americano deu seu sinal verde.

Alguns dos presos transferidos aos Emirados Árabes Unidos estavam há 14 anos em Guantánamo e estavam encarcerados sem acusações.

Trata-se da maior transferência de presos de Guantánamo desde que Barack Obama assumiu a presidência em 2009 e prometeu desmantelar a prisão antes de deixar a Casa Branca em janeiro do próximo ano.

Durante seus oito anos como presidente, Obama tentou enviar os presos de Guantánamo a prisões americanas para cumprir sua promessa de fechar o presídio em Cuba, mas o Congresso bloqueou seus esforços com diversos pretextos, razão pela qual o governo transferiu os detentos a outros países.

"Os EUA agradecem ao governo dos Emirados Árabes Unidos por seu gesto humanitário e sua disposição de apoiar os esforços em curso de fechar o centro de detenção de Guantánamo", afirmou o Pentágono.

Por sua parte, o presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA, o republicano Ed Royce, criticou que Obama esteja "pondo em risco" a vida de americanos "em seu afã de fechar Guantánamo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos