Bombeiros não controlam fogo na Califórnia que já arrasou 12 mil hectares

David Villafranca.

Los Angeles (EUA), 17 ago (EFE).- O forte incêndio que começou na terça-feira nos Estados Unidos em uma área montanhosa do condado de San Bernardino, a 115 quilômetros a nordeste de Los Angeles, continua hoje fora de controle e crescendo a grande velocidade, após arrasar mais de 12 mil hectares e provocar a evacuação de 82.600 pessoas.

Segundo os últimos dados divulgados pelos serviços de emergência através do portal oficial InciWeb, o fogo, cujo foco se situa em Puerto de Cajón, motivou a evacuação temporária de pelo menos 34.500 imóveis e o fechamento de várias escolas.

A intensidade e a rapidez do incêndio, denominado "Blue Cut Fire", mantêm fechados vários trechos das rotas de transporte mais importantes da região afetada, entre elas, a estrada 138 e a interestadual 15, que liga o sul da Califórnia com Las Vegas.

Mais de 1.300 soldados trabalham hoje nos esforços para extinção das chamas, que contam, além disso, com a ajuda de dez aviões-tanque e oito helicópteros.

O condado de San Bernardino (Califórnia) permanece desde terça-feira em estado de emergência e as autoridades admitiram que não é possível saber ainda o número de estruturas e prédios que foram destruídos pelas chamas.

As condições meteorológicas, junto com a severa seca que há anos se abate sobre a Califórnia, não estão ajudando os bombeiros em sua luta contra o fogo, já que o tempo quente e seco continua na região, com muito pouca umidade relativa e com sequências de ventos que podem chegar até 50 km/h.

O fogo começou na terça-feira de manhã e se estendeu com muita facilidade pelo terreno escarpado e pelos matagais do local.

"Tudo se juntou. O vento, o combustível e a topografia (...). Quando isso acontece não há nada que se possa fazer. Pode-se usar todos os recursos na luta contra o incêndio e o fogo continuaria", disse o capitão Howard Deets em resposta ao jornal "Los Angeles Times".

"Dá medo quando não há nada que separe as chamas de você e de sua casa, que é sua vida", disse a moradora da região Caroline McNaught à rádio pública "NPR".

O fogo surpreendeu também s turistas que se encontravam na área, como os espanhóis Josep Barberillo e Rosa Cañizares, que voltavam do Deserto de Mojave e que, em declarações a "Los Angeles Times", contaram que tiveram que se refugiar em um centro de apoio da cidade de Hesperia.

As autoridades mantêm desde terça-feira advertências de que existe "uma ameaça iminente" para a segurança pública, o tráfego ferroviário e as estruturas em Puerto de Cajón, arroio Lytle, Wrightwood, Oak Hills e as áreas ao redor.

Ao "Blue Cut Fire" se soma uma sequência muito negativa de incêndios em diferentes partes da Califórnia ao longo do ano que mataram oito pessoas e destruíram centenas de casas.

No entanto, o "Los Angeles Times" advertiu, citando especialistas, que o pior poderia estar por vir, já que a temporada habitual de incêndios no sul da Califórnia só costuma começar no outono (hemisfério norte), quando chegam os ventos fortes e quentes de Santa Ana.

O chefe do Departamento Florestal e de Proteção contra Incêndios da Califórnia, Daniel Berlant, declarou hoje através do Twitter que, neste momento, cerca de 10 mil bombeiros estão trabalhando nos oito focos ativos em todo o estado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos