Filha de Cheney está perto de ocupar lugar de seu pai no Congresso dos EUA

Washington, 17 ago (EFE).- A filha do ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney (2001-2009), decidiu seguir os passos paternos e tem tudo o que precisa para ocupar o lugar que foi de seu pai durante anos na Câmara dos Representantes do país, de acordo com a imprensa local.

Herdeira do conservadorismo de seu pai, Liz Cheney venceu nesta terça-feira as eleições primárias republicanas de Wyoming para a única cadeira reservada na câmara ao estado rural e despovoado.

Com isso, é muito provável que ela leve o assento no pleito de novembro, uma vez que a vaga fica há décadas com representantes do Partido Republicano.

Liz tem 50 anos e segue a linha ideológica do pai, braço direito do ex-presidente George W. Bush e considerado por muitos o verdadeiro líder nos bastidores durante o mandato, incentivador de decisões como o início da Guerra do Iraque e defensor do uso da tortura nos interrogatórios a suspeitos de terrorismo.

"Estou ansiosa para que cheguem as eleições gerais para garantir que tenhamos uma voz conservadora mais forte em Washington", disse a candidata em comício após sua vitória nas primárias, de acordo com o jornal "Casper Star Tribune".

Durante anos, a herdeira de Cheney foi advogada especialista em assuntos internacionais no Departamento de Estado, onde ganhou a reputação de "falcão" em temas de Defesa, ou seja, uma defensora veemente do aumento da presença militar dos EUA no mundo.

A advogada envolveu-se profundamente nas duas campanhas de seu pai à vice-presidência dos EUA e, em 2012, tornou-se comentarista da rede de televisão conservadora "Fox News".

Em 2013, Liz anunciou a intenção de disputar uma cadeira no Senado por Wyoming no pleito do ano seguinte, mas a declaração gerou incômodo em seu partido porque, para isso, ela teria que desbancar o veterano senador republicano Mike Enzi, motivo pelo qual retirou sua candidatura poucos meses depois.

A breve campanha ao Senado também foi prejudicada pela discussão que Liz teve no Facebook com sua irmã Mary, casada com uma mulher. O motivo foi a oposição ferrenha que a política faz ao casamento homossexual.

O matrimônio entre pessoas do mesmo gênero é um dos temas nos quais Liz é ainda mais conservadora que seu pai. Em 2009, Dick chegou a apoiar a liberação do casamento homossexual nos estados americanos.

Em um livro de memórias publicado no final de 2015, o ex-presidente George H. W. Bush (1989-1993) insinuou que, em sua opinião, a evolução de Cheney para posturas mais extremistas foi fruto das influências de sua esposa, Lynne, e de sua filha Liz.

As primárias vencidas nesta terça por Liz foram as mais concorridas do estado no último século, com nove candidatos. Ainda assim, ela conseguiu a vitória com pelo menos 40% dos votos, o que lhe deu direito a enfrentar o democrata Ryan Greene nas eleições de novembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos