LGBTs do Nepal celebram dia do orgulho e exigem cumprimento da Constituição

Katmandu, 19 ago (EFE).- A comunidade LGBT do Nepal celebrou nesta sexta-feira, em um desfile pelas ruas da capital Katmandu, o dia do orgulho gay, e aproveitou para exigir que o governo garanta na prática o exercício dos direitos dos homossexuais já reconhecidos na Constituição.

O Nepal é o único país do sul da Ásia onde a homossexualidade não está criminalizada, mas a comunidade LGBT afirma que, apesar de todos os direitos que lhe são garantidos pela Constituição nepalesa, muitos deles ainda não foram colocados em prática.

"O desfile é para pressionar as autoridades sobre a implementação desses direitos", disse à Agência Efe Manisha Dhakal, diretora da Sociedade Diamante Azul, que luta pelos direitos dos homossexuais no país do Himalaia.

Segundo Dhakal, que é transexual, a Constituição nepalesa aprovada no ano passado, após anos de debate desde o fim da monarquia em 2008, garante aos homossexuais os direitos de cidadania, igualdade e cotas reservadas para cargos no funcionalismo público.

"No entanto, ainda é difícil para nós exercermos esses direitos, queremos que o governo facilite o processo", reivindicou a ativista.

O desfile do orgulho gay no Nepal acontece desde 2010 e coincide com a festividade hindu de Gaijatra, um dia no qual as pessoas se vestem com roupas coloridas para homenagear os mortos.

O Nepal foi o primeiro país do sul da Ásia a legalizar as relações homossexuais, seguido da Índia, em 2009. O Tribunal Superior de Nova Délhi, no entanto, decidiu revogar a decisão que descriminalizava esse tipo de relação em 2014, deixando o Nepal, até hoje, como único país da região não hostil aos homossexuais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos