Hillary Clinton deverá responder perguntas por escrito sobre e-mails

Washington, 19 ago (EFE).- Um juiz federal americano ordenou nesta sexta-feira que a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, responda algumas perguntas por escrito a um grupo conservador sobre o uso que fez de um servidor pessoal de e-mails enquanto era secretária de Estado.

A decisão judicial representa uma vitória parcial para o grupo Judicial Watch, que tinha solicitado questionar Hillary sob juramento.

A utilização por parte de Hillary Clinton de um servidor pessoal para enviar e armazenar e-mails enquanto dirigia o Departamento de Estado entre 2009 e 2013 é uma das principais críticas feitas por seus opositores.

Enquanto a maioria de republicanos pede que ela seja julgada, alguns, como o próprio candidato presidencial, Donald Trump, foram mais longe defendendo que Hillary deveria estar na prisão.

Porém, no início de julho, o FBI recomendou não apresentar acusações contra a ex-secretária pelo uso dos servidores pessoais, embora, tenha concluído que seu comportamento foi "negligente".

Embora essa decisão tenha sido como uma espécie de alívio para a candidata democrata, a ordem judicial abre a porta para polêmicas na reta decisiva das eleições, previstas para o dia 8 de novembro.

De acordo com o juiz que emitiu a ordem, Emmet Sullivan, a medida é uma "oportunidade" para Hillary explicar "a finalidade de criar e operar" servidores pessoais em trabalhos relacionadas com o Departamento de Estado.

O Judicial Watch tem agora até o dia 14 de outubro para apresentar as perguntas por escrito a democrata, que por sua vez terá 30 dias para respondê-las.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos