Comunidade internacional condena atentado na Turquia e oferece apoio ao país

Redação Central, 21 ago (EFE).- A comunidade internacional condenou neste domingo o atentado realizado durante a celebração de um casamento curdo no sudeste da Turquia, que deixou no sábado 50 mortos e o mesmo número de feridos, e reafirmou seu apoio na luta contra o terrorismo no país.

Segundo o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, o atentado contra um salão onde era realizado um casamento na cidade de Gaziantep, no qual participava uma multidão de curdos, foi "provavelmente" obra do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Um dos primeiros a reagir foi o presidente da Rússia, Vladimir Putin, que expressou "que o ocorrido ressalta de novo a necessidade de juntar realmente os esforços de toda a comunidade internacional na luta contra o terrorismo".

Em um telegrama dirigido a Erdogan, o chefe do Kremlin mostrou "sua disposição a reforçar a cooperação antiterrorista com os parceiros turcos no marco dos acordos alcançados recentemente em São Petersburgo".

"Mais uma vez nos convencemos de que o terrorismo não só não reconhece os princípios que regem as sociedades civilizadas, mas as normas mais básicas da moral humana", afirmou.

Putin expressou suas condolências às famílias das vítimas e destacou que "a maldade cometida em pleno casamento provoca comoção por sua crueldade e cinismo".

O presidente francês, François Hollande, qualificou de "ignóbil" o atentado e, em mensagem de condolências às autoridades e ao povo turcos, ressaltou que a França está junto com "todos os que lutam contra a praga do terrorismo".

Já o presidente da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, o espanhol Pedro Agramunt, manifestou sua repulsa a "este novo ato de violência" e transferiu uma mensagem de apoio à Turquia pelo que chamou de um "dramático ataque".

Também desde o coração da Europa, o presidente parlamento Europeu, Martin Schulz, lamentou o fato através do Twitter. "os terroristas propagaram a morte e a dor onde estavam sendo celebrados o amor e a vida", escreveu.

"Meus pensamentos e condolências às famílias e amigos das vítimas do horrível ataque em Gaziantep", acrescentou Schulz.

O comissário europeu de Migração, Dimitris Avramopoulos, falou de "violência cega", também através do Twitter, e ressaltou a necessidade de unidade "contra todas as formas de terrorismo".

"Outra vez um ataque horrível comoveu a Turquia. Outra vez enfrentamos os métodos bárbaros do terror e outra vez morreram pessoas inocentes", disse o ministro das Relações Exteriores alemão, Frank Walter Steinmeier, ao lamentar que "um casamento, uma festa da alegria, se transformou em um pesadelo".

Além disso, os governos da Arábia Saudita e Egito condenaram o atentado. Desde Riad, as autoridades reiteraram "sua plena solidariedade e apoio à Turquia em sua luta contra o terrorismo", enquanto o Ministério egípcio das Relações Exteriores expressou seus pêsames e desejos de pronta recuperação dos feridos.

Por fim, o governo do Irã, através do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qasemi, enviou suas condolências e disse que se tratou de um ato "abominável contra a humanidade".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos